2 de agosto de 2016

Otohematoma em cães.

Oi  gente,

Como eu havia prometido no face estou colocando aqui uma nova postagem que pode auxiliar vocês.

Pra variar, a Alana teve otohematoma, e eu realmente não conhecia essa complicação, então lá fui eu passar por tudo e estudar pra poder tratar a Alana da melhor forma possível.

Um dia eu fui olhar a Alana e notei que uma das orelhinhas dela estava inchada, mas não toda a orelha, parecia que algum bicho tinha mordido numa parte especifica, o que ocasionou uma "bola" na orelha dela.

No outro dia ela já estava sendo levada ao vet, que diagnosticou ela com otohematoma e falou que, quase de certeza, ela precisaria de cirurgia. 

Odeio quando eles falam de cirurgia, meu coração vem na boca, mas as vezes, em certos casos, ela realmente é necessária. Fiquei uns segundos em silencio e acho que o vet notou minha apreensão, como conheço o veterinário sabia que ele não falaria em cirurgia se não fosse a solução.

De qualquer maneira conversei com ele e decidimos, num primeiro momento, em tentar drenar a orelha dela (a bolsa que se formou era se sangue, de uma veia ou artéria que tinha sido rompida, provavelmente dela se coçar, também foi diagnosticada uma otite).

Drenamos a orelha nesse mesmo momento, e tadinha, a menininha sofreu, teve que fazer um furo com agulha e apertar pra sair todo o liquido, deu pra ver que doeu bastante.

Segundo o veterinário era só uma tentativa, mas que, provavelmente, a orelha iria encher de novo, pois a veia ou artéria se não fosse "secada" iria continuar saindo sangue.

Então não deu outra, no dia seguinte a orelhinha dela inchou de novo, e pela segunda vez drenamos novamente. Porém, o vet falou que se inchasse de novo teria que fazer a cirurgia. Ele explicou que a cada vez haveria mais sangue e a tal "bolha de liquido" ia se expandir cada vez mais, e não podíamos ficar drenando e deixando isso acontecer, já que com o aumento da bolha, maior seria a incisão na cirurgia, e maior seria a cicatriz na orelha, com, inclusive, possibilidades de deformidades.

Então, para o meu ataque de panico a orelha inchou de novo, e não tivemos mais como postergar, lá foi a Alana para cirurgia, de novo.

A cirurgia consiste em abrir a orelha no local, drenar o sangue, cauterizar a veia ou artéria e deixar aberto para cicatrizar e secar.
Ela fez a cirurgia começo da tarde e a noite já peguei ela, toda zonza tadinha e com a orelha toda enfaixada. Dia sim, dia não, tinha que levar para refazer o curativo, pois continuava saindo liquido até cicatrizar por completo.



Mais uma luta e estresse, mas que com muito cuidado e carinho ela ficou boa! Ufa!!
Realmente o veterinário disse que já devia ter feito a cirurgia na segunda drenagem, pois ela ficou com uma fibrose e uma pequeninha deformidade no local, mas nada que ocasione nenhum problema e que, tenho certeza, ela nem sabe que existe.

Então, fiquem preparados, muito provavelmente, se seu cão apresentar otohematoma o tratamento será cirúrgico e quanto mais for postergado maior a cicatriz e maior risco de deformidade. Tente drenar uma vez, se na segunda inchar de novo vá para o tratamento cirúrgico.

"Otohematoma é uma condição que geralmente aparece como consequência de uma infecção de ouvido. Quando o cão balança a cabeça, ou na tentativa de coçar a região para alívio da dor ou por causa da coçeira, os vasos sanguíneos existentes entre a pele e a cartilagem se rompem e a região passa a ser preenchida por sangue e fluido inflamatório. Infelizmente o quadro não desaparece facilmente por si só ou com apenas medicação. Precisamos fazer um procedimento no qual o sangue e fluidos são drenados e uma bandagem ajudará no processo de compressão local para que a área não volte a ser preenchida por sangue. Existem várias técnicas e a melhor para o animalzinho, o Veterinário é quem escolherá. Tratar apenas do Otohematoma não é a solução. Precisamos tratar também o ouvido que deve estar inflamado ou infeccionado. (...) O prognostico é bom. Pode haver casos em que o otohematoma é recorrente e os motivos são vários: quando a compressão não é feita por um longo período, quando os vasos ainda não estão “cicatrizados” ou quando a causa primária (infecção) não tratada ou completamente curada. Cada caso é único e precisa ser avaliado e cuidado com uma atenção especial.  Se o seu animalzinho está balançando demais a cabeça, coçando as orelhas ou se você percebeu algo maior ou inchaço  na região leve-o ao vetrinario o quanto antes" OTOHEMATOMA AND OTITIS IN DOGS.

Aqui vão algumas ilustrações que mostram um pouco melhor sobre a cirurgia:

Article Treating Aural hematomas



Article Treating Aural Hematomas




18 de abril de 2016

Vamos logo voltar com muito mais histórias!

Oi pessoal,


Desculpem a demora na publicação dos comentários, irei responder a todos com toda certeza!

Agradeço a todos pelos elogios e por estarem participando com suas experiências e perguntas, assim, ajudamos uns aos outros! ♥

Podem aguardar que já estou lendo todos com muito carinho. ;)

Estávamos numa correria aqui!

Estou preparando algumas postagens novas! Alana esteve afastada e eu também, adivinhem... ela teve um probleminha na orelha e teve que fazer uma cirurgia e agora ficou até com uma deformidade na orelha, nada que me incomode, muito menos a ela, o que me importa é a saúde dela.



Em breve estarei colocando aqui essa e outras historias!

Um aubeijo com muitas saudades de todos!!! ♥♥♥

3 de setembro de 2015

Blog no Face!!!

Você ainda não conhece nossa página no Facebook?!

Dá uma passada lá: Página do blog no Face!

Sempre tem informações, novidade, vídeos das nossas "artes" e muuuitas fotinhas nossas pra ficar sempre em contato com vocês!



Curte lá!  Lambeijos pra todos! ♥

17 de agosto de 2015

Viagens de Avião: Caixa de Transporte

Voltando com os posts sobre viagens de avião, um aviso:

A escolha da caixa de transporte é muito importante. Não pode ser qualquer uma, ou você poderá ter "dores de cabeça" na hora de embarcar.

Fiz muiiiitas pesquisas, afinal, segurança em primeiro lugar, então aqui vão algumas especificações que podem ajudar sobre a caixa de transporte:
  • A caixa tem que ter ventilação dos quatro lados, mas não pense que um furinho ou dois bastam, a TAM Cargo (única que faz esse tipo de transporte para braquicefálicos) exige uma boa ventilação. Do contrário eles vão te dar um estilete ou uma faca pra você fazer "furos" lá mesmo, ou então não embarca (sim, eu vi isso acontecer).