28 de junho de 2011

Fisioterapia Canina Beneficia Frenchies!


A Fisioterapia canina começou a ser aplicada na clínica de grandes animais, mais concretamente em cavalos no início do anos 70, naquela época era uma mera adaptação de técnicas e conhecimentos adquiridos em Medicina Humana. 

No Brasil, O tratamento fisioterapêutico em animais é relativamente novo,  e foi regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária em 2006. 

www.geac.ufv.br

E assim como as pessoas, muitos animais de estimação precisam se recuperar de uma doença ou cirurgia, fazendo com que o objetivo da Fisioterapia veterinária seja basicamente o mesmo da humana: Preservar, manter (forma preventiva), desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistemas ou funções.
 
A Fisioterapia auxilia a: 
  • Prevenir patologias ortopédicas;
  • Auxiliar no pré e pós-operatório;
  • Eliminar ou diminuir seqüelas pós-operatórios;
  • Eliminar ou diminuir a utilização de medicamentos;
  • Reduzir a dor e promover a cura;
  • Aumentar a força muscular e flexibilidade das articulações;
  • Melhorar o equilíbrio, movimento e coordenação;
  •  Proporcionar qualidade de vida ao animal.

Após uma avaliação completa das necessidades de seu animal de estimação, o  veterinário-fisioterapeuta, irá traçar um programa específico de tratamento para seu cão. Quanto mais cedo iniciar-se a Fisioterapia, mais benéfico e satisfatório serão os resultados.

As terapias utilizadas são as mesmas da Fisioterapia humana, claro que com abordagens diferentes, entre elas estão: 
  • Crioterapia: Em afecções articulares a crioterapia visa não só a eliminação da dor como também diminuição da ação inflamatória;
  • Termoterapia: Aumenta a elasticidade do colágeno, expandindo a amplitude do movimento;
  • Hidroterapia: permite que a articulação trabalhe sem impacto, o que fortalece os tecidos moles adjacentes à lesão, aumenta a capacidade cardiorrespiratória, previne espasmos musculares e dores. O animal, quando acostumado à água, encara o tratamento como uma brincadeira.

www.geac.ufv.br


www.geac.ufv.br

  • Cinesioterapia:  Tratamento através dos movimentos;
  • Eletroterapia (TENS, Lser, Ultra-som): Indicada para diminuição da dor e da inflamação. O laser também auxila na cicatrização.

Os frenchies são os que mais têm se beneficiado da Fisioterapia, principalmente porque são propensos a alguns problemas ortopédicos como:
  • Displasia coxofemural;
  • Hemivértebra;
  • Prolapso do disco intervertebral (hérnia discal);
  • Luxação de patela.
Aqui vão alguns vídeos dos frenchies se recuperando de algumas dessas patologias:




Esse último que eu vou colocar dá muita pena, fiquei triste em ver... É um pouco comprido (5 minutos), mas vale a pena ver! 
O que nós temos que pensar é que os animais não pensam como nós, ali ele está feliz, mesmo andando daquela maneira, para ele o que importa é que ele consegue se locomover. 

Na descrição explica que, provavelmente, ele não voltará a andar, mas a fisioterapia irá auxiliar, e MUITO! Na água, com ajuda, ele quase anda!




É... realmente emocionante... 


"Os cães são o nosso elo com o paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde, é voltar ao Éden onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz ". Milan Kundera

"Sinto pelos que não gostam de cães... pelo simples motivo de que nunca saberão o que é realmente ser amado, de verdade... pois nenhum outro ser vivo nos ama incondicionalmente..."  Melissa Salles



Referências:

1.http://www.greepet.vet.br/poliartrite.php
2. http://www.petsbr.com/?p=1085
3. www.geac.ufv.br/fisioterapiaveterinaria.ppt



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.