24 de junho de 2011

Lambedura de Patas


Seu Frenchie anda lambendo as patinhas demais? 
 bulldog frances+branco

Saiba, então, que ele pode estar sofrendo de dermatite psicogênica. 

Notei que muitos donos de buldogues franceses reclamam desse tipo de comportamento: lamber as patas  em demasia. Os frenchies, por serem muito emocionais e carentes, podem vir a desenvolver esse tipo de dermatite quando deixados sozinhos por muito tempo, assim como as alergias, que são recorrentes e comuns, podem também ocasionar a lambedura de patas, fazendo com que o cão se "vicie" neste tipo de comportamento.

As causas de lambedura são multifatoriais, sendo que, embora o estresse possa ser um fator contribuidor, outros fatores também são igualmente importantes. Deve-se sempre, primeiramente, eliminar as causas físicas antes que um diagnóstico de dermatose psicogênica seja efetuado, como o descarte de trauma, neuropatia, dor no local, parasitas, alergias, infecções fúngicas ou bacterianas, hipersensibilidade, demodiciose, osteopatia, hipotiroidismo, artrite e até mesmo neoplasias.

 
Porém, na maioria dos casos não é detectada nenhuma causa física subjacente, e esse quadro tem sido resultado do tédio, falta de estímulo ambiental, ansiedade de separação e “estressantes psíquicos”, como a chegada de um novo animal ao domicílio, chegada de um bebê ou alterações na rotina de trabalho de um dos donos.

Existem situações em que o animal não só lambe as patas , como também se mutila,  sendo chamada de Dermatite acral por lambedura ou granuloma por lambedura, o cão provoca  pequenas erosões cutâneas que coçam muito, levando à ulceração e consequentemente à exposição das camadas mais profundas da pele.

cachorro+lambendo+patas

 A lambedura excessiva também pode causar a produção e liberação de endorfinas, fazendo com que o animal sinta-se bem, ao mesmo tempo que produz um efeito analgésico, diminuindo a percepção de dor do animal.

Três fatores gerais estão envolvidos na etiopatogenia:
  • Predisposição racial. Raças que são emocionais e nervosas desenvolvem mais dermatoses psicogênicas (o bulldog francês é , particularmente, muito emocional, eis um dos motivos de não deixá-lo sozinho por longos períodos);
  • O estilo de vida pode ser causador ou contribuinte. Quando os indivíduos de raças não predispostas são forçados a situações estressantes, isolados ou com solidão, e estão sem companhia humana ou canina, podem desenvolver dermatoses psicogênicas. Confinamentos prolongados em jaulas, contenção contínua em corrente, pequeno canil ou dominação por um proprietário ditador ou sem consideração podem precipitar os problemas;
  • O animal que é nervoso, hiperestético, medroso ou tímido tem maior tendência em desenvolver a doença.
O tratamento inclui, primeiramente, identificar e descartar fatores não-psicogênicos, quando não for encontrada uma causa primária, o tratamento com medicamentos modificadores de comportamento pode ajudar.
 buldogue dando a patinha
 
Para ser realmente efetivo, o tratamento dos distúrbios de comportamento deve sempre envolver uma visão global do convívio do animal com o dono, do ambiente  onde  ele vive, e dos estímulos que recebe, além de outros fatores que podem estressar ou traumatizar o animal. Sendo, nesse caso, a participação e colaboração do dono e demais pessoas que convivem com o cão extremamente necessárias durante o tratamento.

As formas de tratamento podem incluir:
  • Tratamento com drogas psicotrópicas;
  • Cuidado com a lesão, caso exista, até a completa cicatrização;
  • Acupuntura;
  • Fitoterapia;
  • Homeopatia.
O que você pode fazer para ajudar:

  • Não deixe o animal sozinho por longos períodos de tempo;
  • Não deixe o cão trancado em correntes e canis;
  • Deixe ossinhos grandes para que ele se distraia (isso auxilia a diminuir a ansiedade);
  • Quando sair deixe um rádio ligado e uma roupa usada sua com ele;
  • Mantenha com o cachorro sempre uns três brinquedos, e faça o revezamento deles a cada dia, para que seja sempre novidade.
  • Leve-o para passear diariamente, ideal que sejam 3 vezes ao dia por, no mínimo, 30 minutos cada vez.

Lembre-se: Um cão é para toda a vida, e eles precisam de amor, carinho e companhia. Dê a atenção e os cuidados que seu cão necessita.

bulldg frances+triste
Fonte: www.cachorroideal.com



Referências:

1. LOPES, D. D. Dermatopatias Psicogênicas: Aspectos Clínicos e Patológicos da Dermatite acral por lambedur. Florianópolis, 2008.
2. GIMENES, C. C. M. Homeopatia e o tratamento de algumas patologias de cães e gatos. São Paulo, 2002.
3. http://portal.anhembi.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1772&sid=203
4. AFFONSO, M. S. N. Dermatite Acral por Lambedura: Tratamento pela Acupuntura. São Paulo, 2009.
5. PINTO, J. Florais para cães. São Paulo: Butterfly, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.