28 de julho de 2011

Companhias Aéreas Proíbem Transporte de Cães Braquicefálicos.


Fiquei um pouco assustada com essa notícia, já que pelo menos uma vez por ano viajo de férias e levo a Alana junto comigo... de avião.

Sei de muitas companhias americanas que proíbem o transporte de cães braquicefálicos quando a temperatura passa de 23° C, o que até é justificável, além de não ser uma proibição total.
bulldog frances=viagem=avião

A proibição ocorre principalmente nas empresas americanas, mas pelas minhas pesquisas a companhia Gol também não está mais permitindo o transporte aéreo de nenhum bulldog em nenhuma de suas variações (inglês, francês, americano...), o que me deixou com dúvida foi porque só os buldogues? Pugs, por exemplo, também são raças braquicefálicas, e também têm problemas respiratórios...

Sempre viajei de TAM e espero que essa restrição não atinja todas as companhias, pois, caso isso aconteça, vai complicar a vida de muita gente.

Não estou dizendo que cuidados não devam ser tomados! Isso deve sim ser uma preocupação, tanto do dono quanto das companhias aéreas.

O que me parece é que a restrição não é para o bem das raças braquicefálicas, e sim para eles não terem problemas e se isentarem de "dores de cabeça", já que eles mesmos não tomam os cuidados necessários (já soube de cães que são deixados nos galpões quentes até a espera do embarque). 

O que me levou a essa conclusão foi que a nova proibição das empresas americanas,vem logo depois da divulgação de um relatório pelo Departamento de Transporte americano, feito entre 2005 e 2010, que informa que metade dos cães que morrem durante os voos são de raças braquicefálicas.

A restrição ocorre, segundo as companhias aéreas, porque cães braquicefálicos correm mais risco de terem problemas respiratórios durante um voo porque sua respiração é mais restrita que as demais raças. No ar, a respiração desses cães fica mais pesada e pode levar à morte (nem citaram o  risco de hipertemia, que é um agravante no transporte de cães desse tipo).

criterios-viagens-caes
Fonte: Folha de São Paulo
Segundo uma ONG de proteção aos direitos dos animais, a SPCA Hong Kong, a proibição é um exagero:
"Nós entendemos que devem existir pesquisas e estatísticas para determinadas raças de cães que são mais problemáticos se despachados nos voos, mas há casos em que levar o animal é inevitável, por exemplo quando os donos se mudam de país", disse Rebecca Ngan, porta-voz da ONG.

Segundo ela, a norma preocupa pois pode ajudar a aumentar o número de cães abandonados pelos donos, já que nem todos poderão ser mais levados nas viagens.

E agora?? E se todas as empresas aéreas proibirem? Como levar um cão, sendo impraticável levá-lo de carro?

Eu realmente já estou com essa preocupação, também agora vou ficar mil vezes mais preocupada quando levar a Alana de avião, porque, mesmo que eu tome todos os cuidados possíveis, eles podem não ter o mesmo empenho (cachorro pra eles é só mais um)...

french bulldog trip
 
Para amenizar os riscos sempre escolha voos noturnos para viajar com seu frenchie (é bem mais fresco). Solicite apenas um remédio de enjoo para o seu veterinário, lembrando que a sedação em buldogues para viagens, principalmente aéreas, é contra-indicada.

Para saber mais sobre os cuidados com viagens de avião e de carro leia também:
Literalmente um parto de viagem: a ida
Literalmente um parto de viagem: a volta

 Para ler a notícia completa: Companhia aérea proíbe animais de focinho curto de viajarem de avião
Outra matéria muito interessante sobre a restrição da Gol em relação aos bulldogs: Gol suspende embarque de bulldogs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.