30 de julho de 2011

Crianças e Cães: Como NÃO Agir!


Como sempre lá estou vagando na internet em busca de novidades, e há algumas semanas achei o site da Dra. Sophia Yin (médica veterinária e especialista em comportamento animal), no site dela tem coisas interessantíssimas! Então decidi pedir a permissão dela para que eu pudesse reproduzir seus artigos aqui no blog e... obtive a autorização!

Achei muito interessante, e bem aplicável aos nossos buldogues franceses, já que eles podem ser um tanto teimosos e metidos com cães e pessoas. No caso da Alana as explicações são muito válidas, já que a reação dela depende sempre de como a pessoas a abordam.

Os posters são muito legais e, apesar de estarem em inglês, as imagens são bastante autoexplicativas. Mesmo assim coloquei números em cada situação e retirei a explicação do site.

Textos de autoria da Dra. Sophia Yin (adaptado e traduzido por mim):

Como uma criança NÃO deve interagir com um cão para que se evite eventuais acidentes:
É o senso comum. Só imagine como as pessoas devem interagir entre si e você saberá como interagir com um cão.


De fato, entender o que pode conduzir um cão a morder as crianças da família é bastante simples: são as mesmas coisas que levam os pais a quererem uma "pausa" de seus filhos. A razões são:

1. Por exemplo, muitas pessoas não gostam quando os outros colocam suas mãos sujas em sua refeição. Da mesma forma, os cães também querem comer em paz.


2. Ensinamos as crianças que é claramente errado roubar brinquedos uns dos outros. Do mesmo modo, é também rude roubar os brinquedos do cão. As crianças devem ser ensinadas a deixar o cão brincar com seus brinquedos sozinho.

Para a construção de uma tolerância do cão, no caso da criança cometer algum erro ao pegar os brinquedos, devemos treiná-los a desistirem dos brinquedos em troca de uma recompensa. Dessa forma, eles voluntariamente darão à criança o brinquedo em vez de ficarem possessivos em relação à eles.
 

3.  As crianças freqüentemente ficam muito próximas de nossos rostos quando estão interagindo. Por isso muitas vezes eles têm que ser educados a manter uma distância socialmente adequada.


Da mesma forma, colocar seu rosto no rosto de um cão, mesmo que seja da família, pode ser irritante para o cão, especialmente quando o cão não tem controle sobre o comportamento da criança.

4. A maioria das pessoas não gostam de ser perturbadas quando estão descansando ou dormindo. Mas, felizmente para nós seres humanos, temos a possibilidade de fechar ou bloquear a nossa porta do quarto.


Da mesma forma, os cães precisam de um local seguro onde eles podem estar longe de crianças e excitação. Crianças devem evitar ficar incomodando o cão em sua localização "privada" ou em qualquer momento que eles estejam dormindo ou descansando.


Se a criança chamar o cachorro de longe e  ele escolher se levantar e vir para a criança, esse tipo de interação está correta. Mas se o cão escolhe ser deixado sozinho, é assim que ele deve ser deixado.

5. Crianças podem ser irritantes ao ficarem cutucando uma pessoa ou um cachorro. Neste caso, os cães podem ser treinados para tolerar ou até mesmo desfrutar desta movimentação, fazendo com que eles não sejam reativos caso a criança os incomode, mesmo assim, a criança deve ser ensinadas a ser educada.

De qualquer maneira, cuide com esse tipo de brincadeira, principalmente no bulldog francês, que tem as orelhas “convidativas” a puxões.

6. É rude escalar, pisar, ou invadir o espaço pessoal de alguém. Assim como também é rude fazer as mesmas coisas com os cães. 

7. Gritar alto incomoda e muito os seres humanos, imagine então o seu efeito sobre o cão, que escuta em torno de 4 vezes mais!

8. Muitas vezes esquecemos que até mesmo alguns gestos amigáveis, como beliscar as bochechas de uma criança, pode ser irritante. Em geral, os cães não gostam de ser abraçados, até mesmo por membros da família, você pode ver isso pela sua linguagem corporal.


Você pode treinar os cães, especialmente quando filhotes, para desfrutar de carícias e abraços Mas, mesmo assim, é importante que as crianças conheceçam os tipos de interações que seus animais gostam, e também para perceberem que outros cães podem não ter a mesma tolerância que o seu.



O poster pode ser baixado no site da Dra. Sophia Yin mediante um pequeno cadastro.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.