29 de julho de 2011

Dermatite Alérgica à Picada de Pulga (DAPP).


A Dermatite Alérgica à Picada de Pulga (DAPP) é uma doença alérgica muito comum em cães e gatos, ela pode corresponder a até 90% dos problemas dermatológicos nos felinos e até 40% dos casos caninos.  


A DAPP ocorre quando o animal é hipersensível à saliva da pulga  (quando uma pulga morde um cão ela inocula saliva, pois a mesma possui propriedades anticoagulantes). 

O principal tipo de pulga que ocasiona essa dermatite é a Ctenocephalides Felis, sua saliva possui mais de 15 componentes potencialmente alergênicos. Somente os cães alérgicos reagem às pulgas, e apenas uma pulga pode desencadear a reação alérgica.

Idade de prevalência:

Pode acometer animais de qualquer idade, porém seu desenvolvimento é raro em animais com idade inferior a 6 meses. A idade de maior ocorrência situa-se entre 3 e 5 anos de idade.

Resultados de alguns estudos demonstram que cachorros que são expostos continuamente às pulgas podem vir a se tornarem parcialmente ou completamente tolerantes imunologicamente, sendo que conforme o cão envelhece seu grau de hipersensibilidade também diminui.

Sinais Clínicos:


Fonte: Bayervet
  • Prurido (coceira) intenso (pode ser maior em épocas do ano mais quentes);
  • Queda de pêlos localizada ou generalizada, localizada preferencialmente na região das costas, abdômen, lombar e cauda;
  •  Por causa da coceira o cão pode ficar se mordendo, coçando e lambendo-se frequentemente, o que pode ocasionar feridas com secreção sanguinolenta e crostas na pele;
  • Cheiro intenso na pele (grau de infecção avançado), devido à infecções secundárias por Staphylococcus intermedius e Malassezia pachydermatis;
  • Pele inflamada ou até mesmo infectada.
Diagnóstico:


Cão com DAPP
  • Histórico clínico e exame físico;
  • Exame citológico;
  • Biópsia cutânea (revela graus de dermatite perivascular);
  • Achados histopatológicos consistentes com piodermites secundárias (foliculite supurativa, dermatite pustulosa intradérmica) que são comuns;
  • Morfologia e distribuição das lesões;
  • Presença de pulgas ou seus dejetos (fezes), mas sua ausência não descarta a dermatite alérgica por picada de pulga, já que banhos recentes podem ter removido pulgas e dejetos;
  • Testes intradérmicos com o antígeno da pulga e resposta à terapia.
Diagnósticos diferenciais, deve-se verificar outras doenças que podem ocasionar sintomas semelhantes, como:
  • Foliculite;
  • Hipersensibilidade alimentar;
  • Dermatite atópica;
  • Hipersensibilidade medicamentosa e aos parasitas intestinais;
  • Dermatite por Malassezia;
  • Distúrbios hormonais.
Tratamento:

Para tratar a DAPP é de extrema importância o controle das pulgas, tanto no animal (e demais que convivam juntos com o animal acometido) quanto no ambiente (principalmente). 

Deve-se também tratar a coceira e lesões de pele.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.