16 de setembro de 2011

Cães Têm Gastrite?


Gastrite é um termo geral utilizado para descrever a inflamação da mucosa do estômago. O sinal mais comum associado à gastrite é o vômito. Embora os sinais possam ser leves e auto-limitados em alguns casos, eles podem ser debilitantes e até fatais em outros, necessitando, inclusive, de hospitalização e tratamento com suporte intensivo.



Ocorre sim em cães e pode ocorrer de forma aguda ou crônica, sendo importante a diferenciação das duas formas, bem como a gastrite de refluxo (o fluxo para trás ou para a evacuação fácil de líquido, muco ou alimento não digerido do esôfago), pois há diferentes diagnósticos e planos de tratamento para cada caso.

Em estudo prospectivo, os autores destacaram a elevada incidência de distúrbios gastrointestinais, em cães braquicefálicos, associados aos problemas respiratórios.

Dos cães apresentados com obstrução do trato respiratório superior, em 97,2% foram frequentemente observadas lesões inflamatórias no esôfago distal, no estômago ou no duodeno, podendo estar associadas a anomalias anatômicas ou funcionais (ex.: atonia do cárdia, refluxo gastroesofágico, retenção gástrica, hiperplasia da mucosa pilórica ou estenose pilórica). O exame histológico conduzido em 51 destes animais revelou 98% de casos de gastrite crônica.

Gastrite aguda:

Caracterizada por vômitos que duram menos de 7 dias. Não é incomum para um cão normal e saudável ter surtos ocasionais de gastrite aguda ao longo de sua vida.

Gastrite crônica:

Caracterizada por vômitos intermitentes com mais de 1-2 semanas de duração. Há uma variedade de causas da gastrite, alguns associados a vômitos agudos e alguns associados a vômitos crônicos. 

Cães com risco aumentado:

Cães e gatos podem ser afetados e os machos com a mesma freqüência que as fêmeas.

Devido ao potencial aumentado de indiscrição dietética em animais mais jovens, eles são mais propensos a desenvolver gastrite aguda. Gastrite crônica pode ser vista em qualquer idade.

Geralmente cães que gostam de remexer no lixo ou ingerir objetos estranhos têm um risco aumentado de desenvolver algum tipo de irritação gastrointestinal, assim como os cães que comem fezes de outros animais ou a grama regularmente. 

Raças pequenas e cães braquicéfalos, como o Boston Terriers e os Bulldogs, são propensos a desenvolver a gastropatia hipertrófica, que é um espessamento do revestimento do estômago. Isso tende a ocorrer na meia-idade e causa vômitos várias horas após uma refeição. A causa deste tipo especial de gastrite ainda não é bem compreendida. 

Causas comuns da gastrite Aguda:


  • Indiscrição alimentar (ingestão de alimentos estragados, corpos estranhos, material vegetal, cabelo ou comer em excesso);
  • Intolerância alimentar ou alergia;
  • Ingestão de irritantes químicos ou toxinas (fertilizantes, produtos de limpeza, chumbo); 
  • Drogas / medicamentos (aspirina, antibióticos, esteróides) - Comumente vê-se na rotina clínica administração caseira de medicação humana para os cães. Alguns desses fármacos são totalmente contra-indicados para cães podendo gerar danos irreversíveis. 
Por exemplo, o diclofenaco (Cataflan), antiinflamatório usado em humanos, pode ocasionar ulcerações graves gástricas e possibilidade de ruptura do estômago em cães. Também é contra-indicado o uso em cães de Ibuprofeno e Paracetamol por conseqüências danosas ao organismo do animal;

  • Agentes infecciosos (vírus, bactérias, parasitas);
  • Choque ou sepse (infecção sistêmica).

Causas Comuns da gastrite crônica:

  • As mesmas coisas que causam a gastrite aguda geralmente também causam a gastrite crônica, mas o cão é normalmente expostos a eles por um longo período de tempo;
  • Doença inflamatória intestinal;
  • Câncer de estômago.

Existem também algumas doenças sistêmicas que podem estar associadas à gastrite aguda e crônica. Estas incluem: insuficiência renal, doença hepática, hipoadrenocorticismo, doença neurológica e úlceras.

Outra causa da gastrite pode estar associada ao stress ou algo de fundo emocional.

Sintomas:

As marcas da gastrite canina são vômitos e dor abdominal intensa. Os Proprietários de cães afetados podem notar um ou mais dos seguintes sintomas:
  • Vômitos (grave; persistente)
  • Dor abdominal
  • Fraqueza
  • Letargia
  • Perda de apetite (anorexia), cão se recusa a comer;
  • Perda de peso
  • Diarréia (+/-)
  • Melena (fezes pastosas de cor escura e cheiro fétido, sinal de hemorragia digestiva alta);
  • Pêlo sem brilho.

A maioria dos cães com gastrite produz uma espuma, vômito com bile tingida, e em muitos casos, há manchas de sangue no vômito também. Às vezes, se o estômago fica muito afetado ao ponto de sangrar, o vômito será muito escuro e será parecido com borra de café úmido. Qualquer cão com vômitos persistentes deve ser visto por um veterinário o mais rapidamente possível. 

Diagnóstico:
Uma tentativa de diagnóstico de gastrite aguda é geralmente feito com base na história e nos achados clínicos.
Se o cão não está respondendo ao tratamento sintomático, e/ou os sinais são graves, testes de diagnóstico devem ser realizados. Nos casos da gastrite crônica, um diagnóstico mais completo é quase sempre recomendado.
Exames que podem ser feitos:
  • Um hemograma completo irá avaliar a presença de inflamação, infecção e anemia que podem estar relacionadas a algumas doenças que causam gastrite;
  • Perfil bioquímico para avaliar o rim, fígado, eletrólitos, proteína total e status de açúcar no sangue. Todos estes parâmetros são importantes de se estabelecer no cão com gastrite;
  • Exame de urina ajuda a avaliar os rins e o estado de hidratação do cão (importante por causa, principalmente, dos vômitos;
  • Vários exames de fezes são importantes para afastar parasitas gastrintestinais como causas de gastrite;
  • Um teste do antígeno fecal Parvo (para parvovirose) deve SEMPRE ser realizado em qualquer filhote de cachorro que apresenta-se com gastrite aguda, independentemente de seu histórico de vacinação;
  • Radiografias abdominais (raios X) para avaliar os órgãos abdominais (rins, fígado) e visualizar a presença ou não de algum corpo estranho ou tumor;
Seu veterinário pode recomendar testes adicionais mais específicos para garantir uma assistência médica ideal que, normalmente, são selecionados caso a caso:

  • Um teste de estimulação do ACTH pode ser recomendado para descartar hipoadrenocorticismo (doença de Addison). É uma combinação de dois exames de sangue que mede a função adrenal. É seguro, e geralmente podem ser realizado no hospital veterinário local;
  • Ácidos biliares podem ser avaliados em exames de sangue obtidos antes e depois de uma refeição para avaliação da função hepática;
  • O nível de gastrina deve ser executado em qualquer cão com úlceras múltiplas ou recorrentes ou sinais de gastrite. Níveis elevados são geralmente vistos em cães com gastrinoma (um tumor que secreta a gastrina, causando ulceração);
  • Um exame gastrointestinal superior (GI) com corante pode ser considerado nos casos em que o diagnóstico inicial não confirma a gastrite que persiste. Pode ajudar a diagnosticar objetos estranhos ou tumores que não são aparentes na radiografia, ou confirmar um diagnóstico de ulceração gastrointestinal;
  • Um ultra-som abdominal ajuda a avaliar os órgãos abdominais e a presença de tumores. Órgãos, gânglios linfáticos, e as massas podem ser amostrados com uma agulha ou instrumento de biópsia com a orientação do ultra-som. É recomendável que um especialista realize o procedimento;
  • Gastroduodenoscopia (endoscopia digestiva alta) pode ser benéfica no cão com gastrite. Pode facilitar a remoção de corpos estranhos, pode ajudar a avaliar doença ulcerosa e a coleta de tecido para a verificação de presença de inflamação ou câncer.
A hospitalização é breve e a cura é geralmente rápida e tranqüila. No entanto, o procedimento necessita de anestesia geral, e, portanto, deve-se tomar um ciodado especial. Muitas vezes, é necessário submeter o cão a um especialista, e, geralmente, só é realizado quando outros diagnósticos não foram eficazes.
Tratamento:

Os proprietários de cães afetados devem discutir o protocolo de tratamento adequado com seu veterinário.

É muito importante identificar a real causa da gastrite, de modo que o tratamento específico possa ser iniciado.

Atualmente, já é um fato comprovado que a correção cirúrgica precoce dos distúrbios respiratórios  em cães braquicefálicos produz melhorias rápidas nos distúrbios digestivos. O tratamento de suporte das anomalias digestivas também melhora a sintomatologia respiratória dos animais em fase pós operatória.

Fonte: Lovepeacedogs
Orientações gerais:

  • Retirar o alimento por um período de 24 a 48 horas (o veterinário irá lhe indicar o prazo mais adequado);
  • Oferecer água em pequenas quantidades diversas vezes durante as primeiras 24 horas;
  • Se não houver vômitos durante as primeiras 24 horas, você poderá começar a alimentar seu cão com um pequena quantidade de alimento altamente digestível com baixo teor de gordura;
  • Retomar a alimentação com refeições pequenas várias vezes ao dia (geralmente cerca de ½ do valor diário normal de  comida, dividida em 4-6 refeições);
  • Aumentar gradualmente a quantidade de comida ao longo dos próximos dois a três dias;
  • Ômegas-3 pode auxiliar em quadros inflamatórios. Seu veterinário poderá lhe indicar a dosagem correta para o seu cão;
  • Se os episódios de vômitos retornarem leve seu cão ao seu veterinário logo;
  • Se o cão sofre de estômago sensível em decorrência de estresse ou desordem de fundo emocional o tratamento homeopático com um profissional competente pode ser indicado;
  • Na gastrite grave ou crônica, se a condição está sendo causada por bactérias, os antibióticos podem ajudar a tratar a doença;
  • No caso em que a gastrite é causada por um objeto não digerido no estômago do cão, a cirurgia para a retirada é a única opção de tratamento;
  • Fluidoterapia e eletrólitos podem ser necessários em alguns cães com gastrite aguda, e é direcionado para corrigir a desidratação e anormalidades eletrolíticas. Ocasionalmente, a administração subcutânea (sob a pele) pode ser aceitável.


A causa determinada da gastrite deve sempre ser identificada antes do tratamento, deste modo, será possível uma abordagem especifica na tentativa de resolução do quadro.


Fontes:


1.Pcvh: Gastritis in Dogs
2.Buzzle astritis in dogs
3.Petplace: gastritis in dogs
4.Ebodhitree: gastritis in dogs
5.bullblogingles: gastrite
6.Associatedcontent: overview of gastritis in dogs
7.Royalcanin

9 comentários:

  1. O Veterinário por aqui é tão bom que mando eu aplicar diclofenaco no cão por 7 dias, (pit bull, 4 meses) hoje o cão deve ter perdido pelomenos uns 5 kg, está com uma gastrite muito forte, complicado heim, e é formado em uma instituição pública, isso é pra ver que o profissional é ele quem faz e não a faculdade.

    ResponderExcluir
  2. complicado ... e é por tudo assim, o que você lê é totalmente diferente do que os ditos "profissionais" fazem na prática, de cada 100 , 1 ou 2 se salvam, eu tenho uma shihtzu que tem gastrite crônica a mais de um ano, já passou nas mãos de mais de 5 veterinários e nem um conseguiu chegar a um diagnóstico e tratamendo adequado, só comeram meu dinheiro e tempo.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. minha cadela dalmata esta sem comer a dois dias, vomitou muito no começo e ainda vomita esporadicamente, foi diagnosticado quadro de gastrite, me orientou a dar omeprazol pra ela mas ta dificl de cuidar estou temendo pelo pior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raro,

      Leve ela no veterinario novamente e explique que o tratamento não está resolvendo para vcs tentarem outra metodologia

      Excluir
  5. Minha poodle de 5 meses foi castrada dia 16/07/2013 e depois de 14 dias começou a vomitar direto, tem muitas ânsias e não come mais ração só uns pedacinhos de figado ou carne bovina. Mal bebe água. Desesperada levei no veterinário foi feito um exame de sangue que constou uma anemia não muito forte mas anemia. Estou dando medicação já tem 9 dias e a única coisa que melhorou foi um pouco mais de apetite mas não para ração e carne de cachorro, e as ânsias continuam com menos frequências mas continuam e mais frequentes na madrugada. Depois das crises de ânsias ela fica normal brinca,dorme, passeia. Não sei mais oque fazer. Se eu soubesse que a castração iria deixa-la assim não teria feito. Ela teve uma recuperação física logo no primeiro dia. Mas depois ficou assim. Acho que vou perde-la. hoje dia 21/08 continua com as ânsias e sem comer ração…A veterinária decidiu que o melhor não seria fazer um ultrassom e sim uma endoscopia… para ver se ela está com algum problema no estômago ou se tem algum corpo estranho… só oque me faltava gente… andei pesquisando e está caríssimo. Não posso pagar isso. Li sobre gastrite em caes , será que é o caso dela? ela foi vacina as três doses, depois de uns 26 dias foi castrada e tomou a vacina de raiva no mesmo dia. oque será que esta acontecendo com minha cachorrinha me ajudem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roseli,

      Peça ao veterinário para fazer todos os exames: sangue, urina, fezes, ultrassom, RX, enfim, para descartar possíveis doenças. Não necessariamente foi consequência da castração. Depois de uma cirurgia os cães ficam mesmo mais quietinhos, mas logo melhoram. Não tem como saber o que ela pode ter sem fazer os exames necessários, eles é que darão rumo à um diagnóstico e o tratamento necessário.

      Excluir
  6. A minha cadelinha (Lupita) sofria muito, até eu encontrar uma solução !! troquei a ração dela por arroz, carne moída ou frango e legumes !!! desde já notei uma mudança, melhora no humor, começou a engordar, o que não acontecia....agora eu e ela vivemos bem e felizes por isso. OBS: os legumes e carnes feito somente na água.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcele,

      Obrigada pela dica, mas lembrando que quando damos dieta caseira para os cães ela devem ser balanceadas e acompanhadas pelo veterinário para evitar possíveis deficiências nutricionais.

      Abs,
      Gabi.

      Excluir

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.