1 de setembro de 2011

Sarna Otodécia em Cães.


A sarna otodécica é causada pelo ácaro Otodectes cynotis, que habita o conduto auditivo de várias espécies animais, principalmente cães e gatos.

O Otodectes cynotis (ácaro da orelha) é um ácaro psoroptídeo não-escavador que habita a superfície da pele. Ele alimenta-se de debris epidérmicos e fluidos teciduais de epiderme superficial.

O ciclo evolutivo é típico dos ácaros não escavadores. A fêmea põe cerca de 90 ovos durante a sua vida, que é de quatro a seis semanas; o ovo passa pelos estágios larval, ninfal até o adulto em aproximadamente dez dias.

O ácaro adulto pode viver até dois meses e alimenta-se de fragmentos de pele. O ciclo completo dura em torno de três semanas. A maior patogenicidade deste ácaro é pelo fato de possuir peças bucais perfurantes e mastigadoras que podem lesar gravemente a pele.


Fonte: Bayerpet


Otodectes cynotis se alimenta de linfa e sangue do pavilhão auricular externo, causando irritação das glândulas apócrinas. Há ainda a suspeita que a saliva dos ácaros pode sensibilizar o hospedeiro provocando reações de hipersensibilidade.

Geralmente os filhotes de cães são mais susceptíveis ao ácaro, já que não possuem o sistema imunológico totalmente desenvolvido.

Infecções zoonóticas já foram reportadas, as quais produziram lesões papulares pruriginosas em áreas do corpo humano que ficaram em contato com o animal de estimação infectado.

Transmissão:

Ocorre por contato direto, sendo os ácaros altamente contagiosos. Por isso, é importante manter o animal acometido isolado do restante dos animais além de higienizar os objetos utilizados por ele e o ambiente.


Sinais Clínicos:
  • Animal balança a cabeça e coça a orelha, provocando escoriações, o que pode ocasionar oto-hematomas;
  • Pode ser uma das causas de otite externa com secreção e grande irritação local;
  • Presença de cerumens escuros e de exsudato no canal auditivo;
Fonte: Vetsfa
  • Lesões podem estar restritas ao canal auditivo externo ou atingir outras partes do corpo, acarretando dermatite ao redor das orelhas, pescoço e cabeça;
  • Por causa do aumento na produção de secreção, pode gerar infecções secundárias bacterianas e fúngicas e causar grande incômodo aos animais;
  • Em casos de longa duração uma seqüela comum é a otite purulenta;
  • Em casos de grandes infestações em animais não tratados pode ocorrer até a surdez.
Diagnóstico:

O diagnóstico é feito com base nos sintomas apresentados e em exames específicos como a otoscopia ou visualização do cerumem sob microscópio esterioscópico.

Os ácaros poderão ser vistos como partículas esbranquiçadas móveis através da observação em lupa do material coletado sob uma superfície escura.

Tratamento:

O tratamento da sarna Otodécica é realizado limpando-se o canal auditivo e aplicando gotas otológicas, da qual a maioria delas inclui além de um acaricida, também um antibiótico, fungicida, corticosteróides e analgésicos locais.  Deve-se realizar uma massagem na base da orelha para dispersar a preparação oleosa.

O tratamento deve ser repetido em dez a quatorze dias para destruir quaisquer ácaros recém eclodidos.

Recomendações:
  • Recomenda-se usar luvas para manipular o animal, não pelo ácaro em si, mas pela possibilidade de infecções bacterianas e micóticas associadas, que poderiam ser transmitidas aos dedos/mãos de quem faz a higiene do conduto auditivo;
  • Todos os animais de uma mesma casa, ou aqueles em contato íntimo devem ser tratados na mesma ocasião que os animais clinicamente acometidos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.