28 de novembro de 2012

As Técnicas do Encantador de Cães são Boas ou Ruins?

Bom, como eu costumo estar lendo e fuçando em tudo que encontro, seja na internet ou em livros, sempre acaba surgindo novidades.

Quero deixar claro que minha intenção não é criar revoltas e polêmicas (a favor ou contra). O post de hoje tem o objetivo de reflexão apenas, minha inclusive.

Vocês podem notar que em alguns de meus posts existem vídeos do Cesar Millan, o conhecido encantador de cães.
 
Confesso que eu mesma já tentei aplicar algumas técnicas, inclusive comprei o primeiro livro. Mas sempre tive uma pontinha de dúvida quanto à forma que essas técnicas são aplicadas. Existem muitas dicas boas no programa, sem dúvidas, como o fato de sua energia influenciar a do cão e de que cães precisam de exercícios e passeios diários.

Acredito que em tudo que lemos e vemos sempre devemos ter senso crítico. Cabe a nós, quando nos deparamos com qualquer tipo de coisa nova, procurar saber se aquilo realmente é aplicável, viável, ou fidedigno. A informação está ali, nós é que temos o dever de aprofundar a idéia, ou seja, tudo é uma base para nosso conhecimento.

Então... pesquisando mais sobre as técnicas aplicadas pelo encantador de cães, descobri que, antes  da National Geographic exibir o programa, ela submeteu os episódios à análise do veterinário  conceituado Andrew Luescher, especialista em comportamento animal. 

O Dr. Andrew escreveu uma carta dando seu parecer sobre os episódios, o que foi totalmente desconsiderado pela emissora, já que o que importa é audiência, e estando certo ou errado, o encantador de cães, com certeza, tem um grande público de expectadores.

Aqui está a carta emitida. Vale a pena ler e refletir sobre o que ele escreveu:

"De Andrew Luescher, DVM, Behaviorista Veterinária
Clínica de Comportamento Animal
Purdue University
 
Eu revi as quatro fitas de vídeo, gentilmente apresentados a mim pelo National Geographic. Agradeço muito pela oportunidade de ver essas fitas antes que o programa fosse ao ar. Eu vou ficar feliz de rever todos os programas que lidam com o comportamento de animais domésticos e de treinamento. Creio que esta é uma responsabilidade da nossa profissão.

Tenho estado envolvido na educação continuada para instrutores de cão por mais de 10 anos, primeiro através do Curso de Como Cães "Learn" "programa da Universidade de Guelph (Ontario Veterinary College) e depois através do CÃES! Da Universidade Purdue. Por isso, sei muito bem onde treinamento do cão está hoje, e devo dizer-lhe que as técnicas de Millan são ultrapassadas e inaceitáveis, não só para a comunidade veterinária, mas também para instrutores de cão A primeira pergunta sobre as fitas acima mencionadas que eu tenho é esta:. O show repetidamente adverte que os telespectadores não devem tentar estas técnicas em casa Então qual é o objectivo deste show? eu acho que temos que ser realistas: pessoas vão tentar estas técnicas em casa, muito em detrimento de seus animais de estimação. (grifo meu)

As técnicas do Cesar Millan são quase que exclusivamente com base em duas técnicas: "flooding" e punição positiva. Em "flooding", um animal é exposto a um medo (ou agressão) evocando estímulo e impedidos de sair da situação, até que ele pare de reagir. Para dar um exemplo humano: arachnophobia seria tratada pelo bloqueio de uma pessoa em um armário, liberando centenas de aranhas para aquele armário, e mantendo a porta fechada até que a pessoa deixe de reagir. A pessoa pode ser curada por isso, mas também pode ser severamente perturbada e teria passado por uma quantidade excessiva de stress. "flooding", portanto, sempre foi considerado um método arriscado e cruel de tratamento.

A Punição positiva refere-se a aplicação de um estímulo aversivo ou correção como conseqüência de um comportamento. Há muitas preocupações sobre a punição, pois é desagradável. A Punição é totalmente inadequada para a maioria dos tipos de agressão e de qualquer comportamento que envolve a ansiedade. Punição pode suprimir o comportamento, mas não resolve o problema subjacente, ou seja, o medo ou a ansiedade. Mesmo nos casos em que o castigo aplicado corretamente pode ser considerado adequado, muitas condições têm de ser cumpridas, que a maioria dos proprietários dos  cães não pode atender: A punição tem de ser aplicado toda vez que o comportamento é apresentado, no prazo de ½ segundo após o comportamento, e na intensidade correta (grifo meu)
 
A maioria das explicações teóricas que Millan dá sobre as causas dos problemas de comportamento está errada. Não um desses cães tinham qualquer problema com o domínio. Não um desses cães queria controlar seus proprietários. O que ele estava certo sobre que, calma e consistência são extremamente importantes, mas eles não fazem os métodos apresentados apropriadamente ou justificável.
 
O último episódio (compulsivo) é especialmente preocupante porque a compulssão está relacionada a um desequilíbrio nos níveis de neurotransmissores ou receptores, e, portanto, inequivocamente, uma condição médica. Seria apropriado para o tratamento de pessoas com transtorno obsessivo-compulsivo a punição? Ou ter um leigo ir ao redor tratamento destes doentes?
 
Eu e meus colegas e líderes inumeráveis ​​na comunidade de treinamento do cão têm trabalhado décadas para eliminar tais técnicas crueis, ineficazes (em termos de verdadeira cura) e inadequadas."

 
Eu penso o seguinte: nada é em vão, toda informação é sempre útil de alguma forma.

Quanto à pergunta: As técnicas do encantador de cães são boas ou ruins?

Bom... recomendo que assistam o programa, os vídeos, leiam os livros, leia a carta do veterinário e... tirem suas próprias conclusões.

Photo by Gretchen_ross

28 de março de 2012

Novidades!!! Começando tudo novamente.

Olá pessoal!!!!! Quanto tempo né?! Vida corrida, mudanças, muito trabalho!

Mas aos poucos estamos voltando.

E essa é a novidade? Bom... também, eu diria, e mais uma! Um novo irmãozinho!!!!

A Alana estava muito sozinha e eu já estava há muito tempo querendo uma companhia para ela. Eu iria comprar uma fêmea, eu tenho um pouco de receio de machos, sempre tive fêmeas, pelo fato da marcação de território que o macho costuma fazer quando entra na "puberdade".


 Acontece que os frenchies são teimosinhos e dominantes, a Alana que o diga. Então nesse caso fêmeas costumam se estranhar e podem brigar feio, assim, optei por um machinho. Por enquanto a Alana está estranhando bastante, mas faz apenas 1 semana e aos poucos ela acostuma, mas por tenho que ficar de olho.

Então agora estou começando tudo novamente, xixi no lugar certo, ensinar o que pode e não pode, não morder, mais despesas, acostumar 2 cachorros juntos (o mais complicado por enquanto)... mas quer saber?? Está sendo ótimo! Só espero que depois seja ótimo pra Alana também e que eles se tornem bons amigos.


O nome dele? Por votação na família: Thor! (na verdade ele veio com o nome Lincon do canil e é o que está no pedrigree, mas decideimos que ele combina mais com Thor)

P.S. As fotos estão um pouco ruins, mas logo colocarei melhores!

Abraços!