13 de janeiro de 2014

Alana... e seus filhotes?!


Oi gente!

Quanto tempo né?!

Nesse período que passamos fora muita coisa aconteceu e tive um período conturbado com a Alana.

Sim, a Alana teve bebês, não por escolha livre minha, se querem saber. Como já coloquei aqui tenho o Thor, um super fofo, que escolhi para fazer companhia para a Alana que estava muito sozinha. Mas quando falo de companhia quero dizer amigos! E não um casal. 

Depois que eu peguei o Thor eu decidi primeiro castrar a Alana, já que eu não pretendia ter ninhadas. Acontece que tive um período de mudança de cidade, uma bagunça só, a Alana nem podia fazer cirurgia, pois iríamos viajar. Nesse tempo eu acabei sendo "relaxada", digamos assim, o Thor ainda era muito pequeninho para ter filhotes e estava esperando as coisas ajeitarem para castrar ela e dar a atenção e cuidados merecidos.

Acontece que quando chegou o momento de castrar ela ficou no cio, o que impediu a castração, segundo o veterinário. Então porque não castrei o Thor antes? Pelo mesmo motivo, ele também não poderia passar por procedimentos cirúrgicos com toda a mudança e estresse (recomendação veterinária).

A Alana no cio e o Thor com quase 9 meses... separei os dois sim! Mas foi à noite que o Thor conseguiu ir até ela e não vi a tempo, foi realmente questão de segundos...e foi... 

Agora eu teria a responsabilidade de cuidar muito bem da Alana e dos filhotes que estavam por vir. Thor foi castrado. Quero deixar claro que meus cães foram escolhidos para serem meus companheiros e não para serem utilizados para criação. Opção minha. 

Enfim, a Alana teve uma gestação muito difícil, gastei tudo que tinha e o que não tinha para dar à ela todos  os cuidados necessários. Aliás, tanto para ela quanto aos filhotes, que também receberam todo o amor, carinho, atenção que merecem.



A alana teve 10 filhotes! Sim!!!!!! Muitos para uma pequenina como ela... foi acompanhada por veterinários durante toda a gestação. Na cesárea seria castrada, porém houve complicações no parto, após o nascimento dos filhotes ela teve uma hemorragia. Muitos filhotes e a Alana estava fraca, apesar de toda alimentação e vitaminas... ela estava cansada. Seu corpinho estava desviando toda e qualquer força para o desenvolvimento dos filhotes.

Depois do parto recebi uma caixinha com aquelas fofurinhas dentro. Em estado de pânico recebi a noticia que a Alana não estava bem. Imaginem a situação? Você olha para aquele montão de pequeninos, sente uma alegria imensa, mas ao mesmo tempo eu estava apavorada e quase chorando... minha Alana! :(



Foram algumas horas de tensão, enquanto eu tentava ficar aquecendo os filhotinhos que ainda não tinham o calor da mamãe. Veio o veterinário e disse: Vamos lá ver a Alana? Com um olhar de profundo desespero olhei para o meu marido... chegando na sala ela estava acordando...mais ainda tinhámos que esperar... 

E ela tadinha depois disso tinha 10 filhotinhos à espera... eles também não tinham culpa. Ela foi melhorando e logo estava razoavelmente bem para ir para casa. E aí vimos como a natureza é incrível e sábia. Ela estava fraquinha, não tinha visto ainda os filhotes (que também não tinham tido a primeira mamada), mas foi uma incrível mamãe.

Foi uma luta contra o tempo. Tive a ajuda da criadora que comprei o Thor e a Alana. Por sorte ela estava com uma buldoguinha que tinha tido filhotes há poucos dias e estava cheia de leite. Lá fomos nós correndo com a caixinha. Lá eles mamaram bastante, ficaram bem gordinhos. Tive orientação para dar leite (especial para cães) com uma sonda para eles.

Sim, eles eram muito pequeninhos e não pegavam a mamadeira (que era muito grande), e precisavam receber alimentação de qualquer maneira. De 2 em 2 horas eu estava lá, dando leite de sondinha. A Alana, mesmo debilitada reconheceu os filhotes e estava tentando fazer seu papel de mãe, mas não tinha leite. (com o choque da cirurgia o leite não desceu como deveria). Mas ela tentava, e eu tinha que deixá-los sugar para estimular a produção do leite.

Não foi fácil! Digo: NADA fácil! Eu me dediquei integralmente à eles e a Alana (o Thor foi um anjo, literalmente) respeitou o momento, ficava longe, não incomodava, e claro que ele recebia atenção sim!).

Eu não dormia mais, depois de 2 dias o leite desceu... mas eram muitos filhotes e não tinha o suficiente para todo mundo, então a alimentação teve que ser complementada com a mamadeira, de 2 em 2 horas, ajudar a Alana a limpá-los.



Bom, não foi nada fácil, mas sobreviveram TODOS a essa fase. Porém, perdi uma menininha...não por este motivo, por outro que vou contar a história dela (ela merece um espacinho só para ela) em outro post.

E assim foi, os novos donos foram aparecendo e foram sim escolhidos! Graças a Deus eles estão com famílias ótimas, e acho que esse é um ponto muito importante quando a pessoa cria e vende os filhotes. Para quem?! Eu me importava muito com isso, afinal eu cuidei deles como meus filhinhos e queria que eles continuassem a receber o mesmo ou mais amor. Sempre converso com os donos para saber como estão as figurinhas...muito bem! E isso me deixa muito feliz!

Mas não quero passar por isso de novo... eu já sabia...mas vi na pele o quanto a castração é importante. E se você me perguntasse algum conselho sobre ninhadas eu diria, por experiência própria: CASTRE SEU CÃO!!

Se você realmente for responsável e consciente com o fato de ter uma ninhada você NÃO terá quase nada de lucro! Tive mais despesas do que lucro, sim, com as histórias que vou contar você vai ver o tamanho da responsabilidade e do gasto que uma ninhada pode gerar.

As pessoas me olham estranho, quando digo que não quero mais filhotes, e que castrei o Thor já! (quando falo isso as pessoas quase tem um infarto na minha frente, sério!)
Eu não ligo, o que me interessa é a saúde e a companhia deles, não o "dinheiro" que eles poderiam gerar.

Usar um cão SOMENTE com o objetivo de lucro, para mim, chega a ser maus-tratos... já vi isso acarretar em cães "descartáveis". Mas isso vamos discutir em outro post.

Criar seus cães exige uma IMENSA responsabilidade e comprometimento, mas nem todos têm essa visão...infelizmente.

Mas dei todo suporte, amor, carinho e cuidado para eles. Minha maior preocupação era: para quem e para onde estão indo os filhotes?! Graças a Deus para lares bons. Um deles ficou comigo...você vai saber quem e o porquê depois. Outro ficou com a minha mãe, que está sendo muito mimado! :) Outros estão aqui em Brasília e são muito amados pelas suas famílias.

Disponível em: bulldogfrances


7 comentários:

  1. Tenho pensado em incluir um frenchie na familia e tenho pesquisado bastante. Nessa pesquisa, descobri teu blog! li já alguns posts e queria te parabenizar, é muito bacana!
    Tive duas poodles, mae e filha, por 17 anos, e esse teu texto sobre o parto me emocionou, até pq acompanhei toda a trajetoria da minha cachorrinha.. Um dos fatores que tenho ponderado na aquisição de um novo companheirinho é justamente pq queria uma femea.. e todos me dizem que a femea TEM que cruzar pelo menos uma vez na vida, mas é tao dolorida a separaçao dos filhotinhos.. tanto pra mae, quanto pra nos.. acho q nao consigo enfrentar isso de novo. Entao te peço uma orientação. Duas, na verdade. Uma sobre esse fato que todos me dizem, e outra sobre o comportamento do macho. É muito diferente? Moro com minha mae e minha filha, uma casa só de mulheres.. achas q seria dificil a adaptação? rs
    Te agradeço desde já, e parabens :)
    Saude para seus companheirinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Larissa,

      Em relação a falarem que a fêmea TEM que cruzar uma vez na vida é mito. Ela pode ser castrada antes do primeiro cio, que alias, é o mais indicado e trás inúmeros benefícios.

      Em relação a um macho em uma casa só de mulheres não tem problemas nenhum! A recomendação é a castração, com certeza. Você sabia que dizem que machos são mais dóceis?! E é verdade, nunca tive macho, mas agora com meu Thor vi quanto eles são especiais. Meu machinho é um doce e muito obediente e também é castrado.

      Abs,
      Gabi.

      Excluir
  2. Olá
    Gabi acompanho seu blog desde que a minha Aisha chegou e lendo sobre a gestação da Alana,tomei a decisão de castrar a minha,não queria nem imaginar ver ela sofrendo assim.
    Parabéns pelo blog e estou ansiosa pelo proximo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Michelle,

      Obrigada! E logo tentarei arrumar um tempo pra fazer novos posts! Sugestões também são sempre bem-vindas!

      Sou suspeita, mas acredito que você tenha tomado a decisão correta. Se eu tivesse castrado a Alana logo cedo isso não teria ocorrido, se você quer sua menininha pra ser sua companheirinha a castração auxilia muito na prevenção de doenças e ajuda em alguns casos de temperamento.

      Abs,
      Gabi.

      Excluir
  3. Estou passando pq Fred pediu para deixar beijos e lambidas em papai, mamãe e maninha! Estou lindo, forte e cada dia mais inteligente! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!!!

      Você é muito lindo Fred, diz pra sua mamãe que eu achei você bem calminho para um bulldog, só ficou lá querendo brincar com a bolinha ;)

      A Cookie te adorou!!! Ela e toda a família mandam muitos lambeijos pra vc!!! :)

      Beijos,
      Gabi

      Excluir
  4. Oi!!!
    Estava lendo tua batalha com a ninhada, temos pontos de vistas um pouco diferente, mas respeito muito o que vc disse. Acho muito importante a cruza porque são seres vivos, mas a decisão é do seu dono. Minha bulldog eu quero cruzar, fico imaginando os pequeninhos.. Tenho outra cadela de outra raça e tomei a decisão de deixar ela criar, realmente da trabalho, me dedico muito quando tem filhotes, o valor retorna todo para elas, em forma de boas rações que dou e tratamentos devidos. Achei necessário relatar porque amo meus bichos, e são de estimação, as vezes não podemos generalizar, existem muitos criadores que exploram os bichos, mas existem quem tem paixão em ver a natureza fazer o seu papel. Minha família é composta por Beagle, Bull terrier e Bulldog Francês! Amo todos e agora com a minha filha completamos o que faltava. Obrigada!!!

    ResponderExcluir

Obrigada por participar do blog e compartilhar sua opnião!

Ao deixar seu comentário você automaticamente autoriza sua reprodução e publicação.

Não serão publicados:

- Comentários que contenham ofensas ou palavrões;
- Comentários que não tenham relação com o post em questão;
- Comentários Anônimos;
- Propagandas em geral.

Leia os Termos de Uso do blog.